Seguidores

..

quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Parábola do bom médico.


Em determinada época vivia um médico, excelente no preparo de receitas de remédios. Ele tinha cerca de 100 filhos. Enquanto esteve fora de casa, numa viagem a um distante país, todos os seus filhos beberam veneno por engano, debatendo-se de dor e caindo ao chão à medida que o veneno penetrava em seus corpos. Ao retornar para casa, o médico encontrou seus amados filhos em agonia por toda a casa e ficou muito chocado e triste. Alguns dos que tomaram o veneno perderam completamente a razão, enquanto outros, ainda, estavam conscientes. Todas aquelas crianças, ao verem seu pai, ficaram contentes e correram ao seu encontro, lhe implorando: "Pai! Estamos muito felizes de encontrá-lo em boa saúde. Nós tomamos veneno por engano, por causa de nossa ignorância. Por favor, nos salve e nos dê forças." Imediatamente, o médico juntou muitas ervas medicinais de bom sabor, bom cheiro e linda cor receitando-as de várias maneiras como um maravilhoso remédio a suas crianças enfermas. Aqueles que ainda não haviam perdido a razão tomaram imediatamente o remédio e escaparam das dores agudas e sofrimentos. Os que não mais faziam uso da razão não tomaram o remédio apesar das recomendações do bom médico. O pai ficou muito triste e decidiu usar um último recurso para convencer seus filhos a se curarem. Ele disse: "Eu vou morrer de velhice. Antes de começar a minha jornada, deixarei este remédio bom com vocês. Se vocês tiverem problemas, tomem-no." E saiu de casa dirigindo-se a outro país. Lá chegando, enviou um mensageiro à sua casa, que disse a seus filhos: "Infelizmente seu pai faleceu." "Agora ninguém cuidará de nós com misericórdia e bondade", exclamaram os filhos diante da notícia, finalmente decidindo tomar o remédio. Logo se recuperaram completamente e o pai ciente de que isso aconteceria retornou para casa encontrando seus filhos felizes. Nesta famosa parábola, o remédio maravilhoso com bom sabor, linda cor e bom cheiro simboliza a oração Nam myoho rengue Kyo ensinada pelo bom médico, que é o Buda, e o veneno indica as religiões desencaminhadoras (que deixam as pessoas iludidas e desorientadas). Preciosa colaboração de Daisy Lúcia Ferreira de Moraes

terça-feira, 29 de janeiro de 2013

A compaixão do Buda.


Os pais amam a todos os filhos de maneira igual, mas seu amor se redobra com especial ternura para com um filho doente. A compaixão de Buda se volta igualmente para todos os homens, mas ela se dirige com especial carinho, àqueles que, por causa de sua ignorância, tem de suportar os mais pesados fardos de erros e sofrimentos. O sol surge no oriente e dissipa as trevas do mundo, sem detrimento ou favoritismo para com determinada região. Assim, a misericórdia de Buda a todos abarca, encorajando-os a seguir o caminho do bem e a evitar os labirintos do mal; destarte, Ele elimina as trevas da ignorância e conduz o povo à Iluminação. Buda é, ao mesmo tempo, pai e mãe: pai, por sua compaixão, e mãe, por sua bondade. Em sua ignorância e apego aos desejos mundanos, os homens agem muitas vezes, com excessiva paixão; assim não é Buda. Ele estende igualmente sua compaixão a todos. Sem a misericórdia de Buda os homens se perdem e, devem receber os meios de salvação como filhos de Buda.

segunda-feira, 28 de janeiro de 2013

LUZ FANTASMAGÓRICA . Além da Imaginação.


É conhecido pelo mundo todo, relatos de pessoas que avistaram e que avistam até os dias de hoje misteriosas e inexplicáveis "luzes" em lugares afastados, as quais perseguem carros, motocicletas e até pessoas a pé, sendo que em alguns casos, chegam a hipnotizar quem presenciam suas aparições. Mas qual seria a origem e o objetivo dessas estranhas e assustadoras luzes que assustam e deixam perplexas as pessoas que as avistam?" O relato a seguir mostra uma dessas experiências! ================================================================================= Já contei uma vez o que ocorreu comigo a um tempo atrás no relato Visitante Noturno, e o que venho a descrever desta vez foi algo que nunca contei para ninguém, sendo que existem testemunhas desse relato. Vamos lá. Meu sogro é gerente de fazenda. Ele nasceu e se criou no interior do Ceará, e sempre cuidou de fazendas distantes da "civilização", o que sempre rendeu muitas histórias de "visagens" como eles gostam de nomear essas aparições por aqui. Em uma época, meu sogro estava cuidando de uma fazenda em Patos, um distrito muito pequeno pertencente ao município de Morada Nova no interior do Ceará. Na verdade a fazenda nem nesse distrito era, e para poder ir até lá, tinha que descer nesse povoado, pegar um carro de aluguel para só então chegar até o local. Essa fazenda fica entre dois "serrotes", que é como o pessoal do interior costuma nomear essas serras pequenas, sem muita importância. O interessante é que nesses dois serrotes, sempre surgiram histórias dessas tais visagens, a quem diga que já foi até perseguido por uma luz estranha que queimava onde batia no corpo. Eu gostava muito de escutar os relatos do meu sogro e dos meus cunhados, meio que descrente pois, sempre tive vontade de ver essas tal visagens (com exceção daquela que quis pegar minha filha), mas nunca tinha visto uma. Certo dia voltando de uma festa com meus cunhados, minha esposa tinha ficado com meus filhos na fazenda. Então resolvi armar a rede na varanda para dormir lá. Era por volta de 01:00' da manhã quando fui me deitar. Meus cunhados não quiseram de jeito nenhum dormir comigo na varanda, alegando que era noite de lua cheia e as "visagens" costumavam aparecer nessa época. Bom, não liguei muito e fui dormir. Quando foi mais ou menos umas 02:00' (sei porque tenho costume de dormir com o celular ligado), eu senti um clarão vindo da entrada da fazenda, onde lá tem uma casa que era de um dos peões, mas que estava abandonada. Acordei e senti uma luz muito forte vinda daquela direção. Não sei o que deu em mim naquela hora, que ao perceber aquilo era para ter corrido para dentro da casa, mas ao contrario, me senti atraído pela luz, que apesar de ser muito forte quase ao ponto de deixar a gente sem enxergar nada era muito bonita, tinha uma coloração branca e as vezes mudava para vermelho e azul. Então saí da rede e caminhei em direção aquela luz. Era uma distância de mais ou menos 100 m, e para chegar lá tinha que passar por um estábulo, local onde ficavam os bodes e cabras (não sei como se chamava) e o galinheiro. Bom, quando passei pelo curral das vacas, elas estavam todas assustadas, mas nem liguei, passei direto. Para falar a verdade, nem notei elas, e quanto mais eu me aproximava da luz, mais bonita ela ficava. Segundo um dos meus cunhados relatou, ele falou que ao me ver caminhando só de calção para aquela luz, começou a gritar pelo meu nome, mas eu nem respondia, como se tivesse hipnotizado, mas eu me lembrava de tudo, só não escutava os gritos dele. Foi quando já mais da metade do caminho eu senti meu cunhado e meu sogro me puxando forte pelo braço. Ele relatou que quando me segurou eu cai no chão e olhei para ele. Meus olhos, segundo ele disse, estavam brancos como se tivessem sem vida. Nesse instante, de repente a luz sumiu e eu desmaiei, sendo que acordei dentro da casa e sentindo meu corpo todo arder, parecia que eu tinha passado o dia na praia e não tinha passado protetor solar. Como eu sou branco, minha pele estava muito vermelha. Depois disso, passei uns três dias indisposto, e o ardor da pele não parava, e minha visão estava horrível. Sabe quando você olha diretamente para o sol? Pois parecia que estava assim. Como eu já uso óculos a muito tempo, fui a três oftalmologistas, e nenhum deles souberam me informar a causa. Só sei que depois que a visão melhorou, fui fazer um novo exame para comprar um óculos novo, e por incrível que pareça o grau tinha diminuído e muito. Já que meu problema é hereditário, e vários oftalmologistas afirmaram que meu grau não diminuiria de jeito nenhum, somente com intervenção cirúrgica, o máximo que poderia ocorrer era ele "estacionar", ou seja, nem aumentaria e nem diminuiria, mas para isso eu teria que ficar usando o óculos direto (como eu sempre fazia). Bom, eu não tenho a menor idéia do que era aquela luz, só sei que não quero mais vê-la, apesar de não ter sentido sentimento nenhum com relação à ela, para mim aquilo foi mais que uma prova de que não estamos sós nesse universo e que se eles quiserem podem nos dominar fácil, fácil, já que não foi necessário esforço nenhum para me fazer caminhar quase até lá. Bom esse foi o último caso que aconteceu comigo. Se houver mais, com certeza escreverei aqui. www.alemdaimaginacao.com Emanuel - Fortaleza - CE

A tartaruga tagarela (Fábula Hindu)


Era uma vez uma tartaruga que vivia num lago com dois patos, muito amigos dela. Ela adorava a companhia deles e conversava até cansar. A tartaruga gostava muito de falar. Tinha sempre algo a dizer e gostava de se ouvir dizendo qualquer coisa. Passaram muitos anos nessa feliz convivência, mas uma longa seca acabou por esvaziar o lago. Os dois patos viram que não podiam continuar morando ali e resolveram voar para outra região mais úmida. E foram dizer adeus à tartaruga. - Oh, não! Não me deixem! – suplicou a tartaruga. – Levem-me com vocês, senão eu morro! - Mas você não sabe voar! – disseram os patos. – Como é que vamos levá-la? - Levem-me com vocês! Eu quero ir com vocês! – gritava a tartaruga. - Pensamos num jeito que deve dar certo – disseram – se você conseguir ficar quieta um longo tempo. Cada um de nós vai morder uma das pontas de uma vara e você morde no meio. Assim, podemos voar bem alto, levando você conosco. Mas cuidado: lembre-se de não falar! Se abrir a boca, estará perdida. A tartaruga prometeu não dizer nada, nem mexer a boca; estava agradecídissima! Os patos trouxeram uma vara curta bem forte e morderam as pontas; a tartaruga abocanhou bem firme no meio. Então os patos alçaram voo, suavemente, e foram-se embora levando a silenciosa carga. Quando passaram por cima das árvores, a tartaruga quis dizer: “Como estamos alto!” Mas lembrou-se de ficar quieta. Quando passaram pelo campanário da igreja, ela quis perguntar: “O que é aquilo que brilha tanto?” Mas lembrou-se a tempo de ficar calada. Quando passaram sobre a praça da aldeia, as pessoas olharam para cima, muito espantadas. - Olhem os patos carregando uma tartaruga! – gritavam. E todos correram para ver. A tartaruga bem quis dizer: “E o que é que vocês tem com isso?”; mas não disse nada. Ela escutou as pessoas dizendo: - Não é engraçado? Não é esquisito? Olhem! Vejam! E começou a ficar zangada; mas ficou de boca fechada… Depois, as pessoas começaram a rir: - Vocês já viram coisa mais ridícula? – zombavam. E aí a tartaruga não aguentou mais. Abriu a boca e gritou: - Fiquem quietos, seus bobalhões…! Mas, antes que terminasse, já estava caída no chão. E acabou-se a tartaruga tagarela. Moral da história: “Há momentos na vida que é melhor ficar de boca fechada”

sábado, 26 de janeiro de 2013

Simpatia para ter sorte nos negócios.


Para ser bem sucedido nos negócios, nada melhor do que contar com as forças de uma simpatia. Portanto, quando tiver que entrar numa "jogada" um pouco mais arriscada, faça assim: Tome um banho de água morna com sal grosso e vista uma roupa clara, não esquecendo de colocar no bolso três folhas de arruda. Obs: O banho de água salgada e a arruda porão fora do seu caminho todas as forças negativas que poderiam lhe entravar o negócio que pretende realizar. Simpatia da Bruxinha Valentina.

Erva Mate .


Estudos detectaram a presença de muitas vitaminas, como as do complexo B, a vitamina C e a vitamina D e sais minerais, como cálcio, manganês e potássio. Combate os radicais livres. Auxilia na digestão e produz efeitos antirreumático, diurético, estimulante e laxante. Não é indicado para pessoas que sofrem de insônia e nervosismo, pois é estimulante natural. Contém saponina, que é um dos componentes da testosterona, razão pela qual melhora a libido. Pode ser usada verde ou tostada, no preparo de chás e chimarrão. Misturada com extrato de maracujá, pode ser usada como bebida quente ou gelada. Misturada com suco de limão natural e bem gelado, torna-se uma bebida muito refrescante para os dias quentes e também nos dias frios. Nos dias frios ou quentes, pode ser apreciada em um chimarrão. Análises e estudos sobre a erva-mate têm revelado uma composição que identifica diversas propriedades benéficas ao ser humano, pois estão contidos nas folhas da erva-mate alcalóides (cafeína, teofilina, teobromina etc.), ácidos fólicos e cafeico (taninos), vitaminas (A, B1, B2, C, e E), sais minerais (alumínio, ferro, fósforo, cálcio, magnésio, manganês e potássio), proteínas (aminoácidos essenciais), glicídeos (frutose, glucose, sacarose etc.), lipídios (óleos essenciais e substâncias ceráceas), além de celulose, dextrina, sacarina e gomas. O consumo da erva-mate está relacionado também ao poder que ela tem de estimular a atividade física e mental, atuando beneficamente sobre os nervos e músculos, combatendo a fadiga, proporcionando a sensação de saciedade, sem provocar efeitos colaterais como insônia e irritabilidade (apenas pessoas sensíveis aos estimulantes contidos na erva-mate podem sofrer algum efeito colateral). A erva também atua sobre a circulação, acelerando o ritmo cardíaco e harmonizando o funcionamento bulbo medular. Age sobre o tubo digestivo, facilitando a digestão sendo diurética e laxativa. É considerada ainda um ótimo remédio para a pele e reguladora das funções cardíacas e respiratórias, além de exercer importante papel na regeneração celular. Características: Digestiva É um moderado diurético Estimulante das atividades físicas e mentais Auxiliar na regeneração celular Elimina a fadiga Contém vitaminas - A, B1, B2, C e E É rica em sais minerais como Cálcio, Ferro, Fósforo, Potássio, Manganês É um estimulante natural que não tem contra-indicações É vaso-dilatador, atua sobre a circulação acelerando o ritmo cardíaco Auxiliar no combate ao colesterol ruim (LDL), graças a sua ação antioxidante Por ser estimulante possui também poderes afrodisíacos, graças a vitamina “E” presente na erva-mate É rica em flavonóides (antioxidantes vegetais) que protegem as células e previnem o envelhecimento precoce, tendo um efeito mais duradouro pela forma especial como se toma o mate Segundo o médico pesquisador, Dr. Oly Schwingel, é indicado o uso do chimarrão de duas a três vezes ao dia Previne a osteoporose, fortalecendo a estrutura óssea graças ao Cálcio e as vitaminas contidas na erva-mate Contribui na estabilidade dos sintomas da gota (excesso de ácido úrico no organismo) É rico em fibras que contribuem para o bom funcionamento do intestino Auxiliar em dietas de emagrecimento Atua beneficamente sobre os nervos e músculos Regulador das funções cardíacas e respiratórias Segundo o Instituto Pasteur da França e a sociedade científica de Paris, não existe no mundo outra planta que se iguale à erva-mate em suas propriedades e seu valor nutricional. vale a pena sempre beber Chá Mate.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2013

A cabra que riu e chorou.


Um dia, enquanto o Buda estava em Jetavana, alguns "bhikkhus"(monges) perguntaram-lhe se havia algum benefício em sacrificar cabras, carneiros e outros animais como oferendas aos parentes falecidos. "Não, bhikkhus" - respondeu o Buda "Nenhum benefício virá do tirar-se a vida, nem com o propósito de fazer uma homenagem aos mortos". Então, contou-lhes essa história. Há muito muito tempo atrás, quando Brahmadatta reinava em Baranasi, um brahman decidiu oferecer uma festa aos mortos e comprou uma cabra para ser sacrificada. "Rapazes",ele disse aos seus discípulos, "Levem esta cabra até o rio para lavá-la, escová-la, pendurar uma guirlanda em seu pescoço, dar-lhe grãos para comer e depois, tragam-na de volta". "sim, senhor", eles responderam e levaram a cabra até o rio. Enquanto eles estavam enfeitando a cabra, ela começou a rir com um som semelhante ao de um pote se despedaçando. Depois, começou estranhamente a chorar bem alto. O jovens estavam espantados com o comportamento da cabra e perguntaram: "Por que você riu e chorou tão alto repentinamente?". A cabra respondeu:" Repitam a pergunta quando estivermos com o seu mestre". Os discípulos levaram a cabra de volta apressadamente e contaram ao mestre o sucedido. Após ouvir a história o próprio mestre perguntou à cabra a razão dela ter rido e chorado. "Em tempos passados, brahman", a cabra começou, "eu fui um brahman que ensinava os vedas da mesma forma que você. Eu também sacrificava uma cabra na festa dos mortos. Devido eu ter matado aquela única cabra, tive minha cabeça cortada 499 vezes. Ri alto quando compreendi que era meu último renascimento como animal a ser sacrificado. Hoje serei libertada da minha miséria. Por outro lado, chorei quando lembrei que por me matar você também poderá ser condenado a perder sua cabeça 500 vezes. Foi com pena de você que chorei." "Bem, cabra", disse o brahman, "nesse caso, não vou matá-la. Não se preocupe, eu irei protegê-la". "Você não compreende que a sua proteção é fraca. A força do meu destino é muito forte", disse a cabra. O brahman desamarrou a cabra e disse aos seus discípulos que não deixassem ninguém machucá-la. Obedientemente, eles seguiram o animal para protegê-lo. Livre, a cabra começou a pastar. Esticou o seu pescoço para alcançar as folhas de um arbusto que estava no topo de uma pedra enorme. Naquele exato momento, um raio caiu na pedra quebrando um pedaço pontiagudo que voou para o ar e cortou a cabeça da cabra. Uma multidão aglomerou-se em volta da cabra morta e começou a conversar sobre o espantoso acidente. Uma árvore deva tinha observado tudo desde a compra da cabra até a sua morte, esboçou uma lição do incidente e disse à multidão "Se as pessoas soubessem que o castigo transformará o renascimento em dor, parariam de tirar a vida. Um destino terrível aguarda aquele que escraviza". Com essa explanação da lei do carma a deva deixou os ouvintes com medo do inferno. Ficaram tão assustados que desistiram de praticar os sacrifícios de animais. A deva, depois, instruiu as pessoas sobre os preceitos e sobre a premência de se fazer o bem. Com o tempo aquela deva morreu. Por muitas gerações as pessoas permaneceram fervorosas nos preceitos, praticavam a caridade e trabalhos beneméritos, para que renascessem no paraíso. O Buda terminou sua lição e disse: "Naqueles dias, eu fui aquela deva". A tradução deste texto é uma preciosa colaboração de Sonia Giusti .

quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

À procura das Pérolas.


Ananda disse ao Buda: “O senhor, ó Buda, nasceu em uma família real, permaneceu sentado sob uma árvore e meditou sobre a sabedoria durante seis anos. Obter assim (a dignidade) de Buda é lográ-la facilmente”. O Buda respondeu a Ananda: “Certa vez, Ananda, havia um senhor proprietário extremamente rico que possuía toda sorte de jóias, mas como não possuía as verdadeiras pérolas vermelhas, não se sentia satisfeito. Levando consigo outros homens, ele foi ao mar para recolher algumas pérolas; após superar vários perigos e obstáculos, conseguiu chegar ao local onde se encontravam as jóias. Ele cortou seu corpo para fazer correr o sangue, o qual colocou em um saco untado com óleo, suspenso no fundo do mar. As ostras, ao sentirem o odor do sangue, vieram sugá-lo. Então ele pôde retirar as ostras e, abrindo-as, fez saírem as pérolas; recolhendo-as dessa maneira durante três anos, ele chegou a formar um colar inteiro. Quando retornava, ao chegar à margem de um rio, seus companheiros, vendo que trazia jóias preciosas, armaram-lhe uma cilada. Enquanto o seguiam para pegar água, reuniram-se e o atiraram em um poço, que depois cobriram, e partiram. Passado um longo tempo desde que caíra no fundo do poço, o homem percebeu um leão que se aproximava por um orifício lateral para beber água. Ele novamente teve muito medo. Mas, quando o leão partiu, o homem procurou a passagem por onde o animal havia vindo, pôde sair (do poço) e voltar a seu país. Quando seus companheiros retornavam à sua casa, o homem os chamou e disse: “Vocês me roubaram um colar. Ninguém o sabe, nem que vocês também tentaram-me fazer perecer. Devolvam-no em segredo e eu não os denunciarei”. Temerosos, os homens devolveram as pérolas. De posse das jóias, o proprietário levou-as para casa. Ele tinha dois filhos que brincavam com as pérolas, colocando-as sobre o corpo, e perguntavam um ao outro: “De onde vêm essas pérolas?”. Um deles disse: “Elas vieram do saco que tenho na mão”. O outro disse: “Elas vieram de um jarro que está nesta sala”. Vendo aquilo, o pai começou a rir. Sua esposa lhe perguntou a razão, e ele respondeu: “Recolhi essas pérolas mediante um sofrimento extremo; essas crianças as receberam de mim, não sabem nada dessa história e pensam que as pérolas vieram de um jarro”. O Buda disse a Ananda: “Você me vê somente após ter-me tornado Buda, mas ignora com que esforço e pena me dediquei ao estudo por incontáveis kalpas. Agora cheguei ao objetivo e você pensa que foi fácil, tal como aquelas crianças que pensavam que as pérolas vinham do jarro”. Assim, podemos atingir o objetivo praticando inúmeras boas ações e acumulando mérito durante muitos kalpas, mas não se trata do resultado, nem de um só ato, de uma única ação ou de uma só vida.

quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Os Músicos de Bremen.


Era uma vez um burro que, durante muitos anos, tinha transportado sem descanso sacos de farinha para o moinho. Agora, no entanto, estava cansado, tão cansado que já não conseguia fazer o trabalho. O dono pensou então em livrar-se dele. Apercebendo-se de que o vento não lhe soprava a favor, o burro fugiu e pôs-se a caminho de Bremen, pensando poder entrar para a banda de música da cidade. Já caminhava havia algum tempo quando encontrou um cão de caça estendido no chão. Ó cão, por que motivo é que estás assim? — perguntou o burro. Ah! ? suspirou o cão ?, é que estou velho e cada dia sinto menos forças. Como já não sirvo para caçar, o meu amo quis matar-me. Por isso fugi, mas agora como é que eu vou ganhar a vida? Olha ? disse o burro ?, eu vou para Bremen onde penso entrar na banda de música. Vem comigo e tentarei que entres também. Eu tocarei alaúde e tu timbale. O cão achou boa a ideia e continuaram juntos. Um pouco mais longe encontraram um gato com cara de enterro. Ó gato, o que é que te anda a correr mal? ? perguntou o burro. E quem é que pode estar contente ? resmungou o gato ? sabendo que tem a vida por um fio? Estou a ficar velho e, como prefiro deitar-me ao pé do lume e ronronar a caçar ratos, a minha dona tentou afogar-me. Escapei a tempo, mas agora, o que vai ser de mim? Anda connosco para Bremen. Tu até percebes de serenatas, portanto podes entrar para a banda de música da cidade. O gato achou boa a ideia e lá foi com eles. Daí a pouco os três fugitivos passaram por uma quinta. Sobre a cancela, o galo cantava a plenos pulmões. Ei! Queres dar-nos cabo dos ouvidos? ? perguntou o burro.? O que há contigo? Para hoje, anuncio bom tempo ? respondeu o galo. ? Mas como amanhã é domingo e haverá convidados, a dona da casa, uma mulher sem coração, mandou a cozinheira matar-me. Por isso estou a cantar com quanta força tenho e tenciono continuar enquanto puder. Anda daí, Crista Vermelha ? convidou o burro ?, acho melhor que venhas connosco. Nós vamos para Bremen, o que sempre é melhor do que ir parar à panela. Tens uma bela voz e, todos juntos, vamos dedicar-nos à música. A proposta agradou ao galo e lá foram os quatro. Mas, como a cidade de Bremen ficava longe, à noite entraram numa floresta onde decidiram passar a noite. O burro e o cão deitaram-se debaixo de uma grande árvore. O gato instalou-se nos ramos mais baixos. Mas o galo, por uma questão de segurança, preferiu empoleirar-se o mais alto possível. Antes de adormecer, olhou em todas as direcções e viu uma luz. Chamou os companheiros e disse-lhes que não muito longe dali devia haver uma casa porque se via luz. O burro sugeriu: Era melhor levantarmo-nos e continuarmos o nosso caminho, porque aqui não estamos muito bem instalados. Por seu lado, o cão declarou que um par de ossos com um pedacito de carne agarrada não lhe faria nada mal. Por isso o burro, o cão, o gato e o galo encaminharam-se para a luz que viam aumentar cada vez mais e, por fim, chegaram a um antro de ladrões que estava todo iluminado. O burro, que era o mais alto, aproximou-se da janela e espreitou lá para dentro. O que é que estás a ver, ó Cabeça Cinzenta? ? perguntou o cão. O que estou a ver? ? respondeu o burro. ? Estou a ver uma mesa coberta de coisas boas e vários ladrões sentados à volta dela, todos satisfeitos. Oh! De uma mesa assim é que nós precisávamos! ? exclamou o galo. É verdade! Se fôssemos nós à volta da mesa! ? suspirou o burro. Então os quatro animais puseram-se a pensar na maneira de expulsar os ladrões. Finalmente descobriram-na: o burro poria as patas dianteiras no rebordo da janela, o cão saltava-lhe para as costas, o gato trepava para cima do cão e, por fim, o galo voaria para cima da cabeça do gato. Feito isto, começaram o concerto. O burro a zurrar, o cão a ladrar, o gato a miar e o galo a cantar. Depois entraram pela janela, num grande estrondo de vidros. Ao ouvirem esta barulheira tremenda, os ladrões levantaram-se de um salto e, pensando que fosse um fantasma que tinha acabado de entrar, fugiram apavorados. Os quatro amigos sentaram-se à mesa e devoraram tudo, como se já não comessem há semanas. Quando acabaram, os quatro músicos foram à procura de um bom sítio para dormir, cada qual segundo as suas preferências: o burro deitou-se no pátio em cima da palha, o cão em frente da porta, o gato em cima das cinzas ainda quentes da lareira e o galo empoleirou-se numa trave. Por volta da meia-noite, os ladrões viram que já não havia luzes. Tudo parecia calmo e, por isso, o capitão mandou um deles ir ver o que se passava dentro de casa. O homem encontrou tudo em silêncio. Foi à cozinha para acender a luz mas, tomando os olhos brilhantes do gato por brasas ainda acesas, aproximou deles um fósforo para avivar o lume. O gato não gostou nada da brincadeira. Saltou-lhe à cara, bufando, e arranhou-o. O ladrão apanhou um valente susto e correu para a porta das traseiras para fugir. O cão, que estava lá deitado, saltou e mordeu-lhe numa perna. Ao passar pelo pátio, o burro deu-lhe um par de coices, e o galo, que tinha acordado com toda esta confusão cantou do alto do seu poleiro: Có-có-ró-cócó! O ladrão regressou a bom correr. Foi ter com o capitão e explicou-lhe: Lá em casa está uma horrível bruxa que me cuspiu para cima e me arranhou a cara com quanta força tinha. Diante da porta há um homem que me deu uma facada na perna. No pátio um monstro encheu-me de pauladas e, lá de cima, do telhado, um juiz gritou: “Tragam-mo cá já!” Consegui fugir por uma unha negra!Nunca mais os ladrões se atreveram a voltar àquela casa. Pelo contrário, os quatro músicos sentiram-se lá tão bem que nunca mais de lá quiseram sair. Moral da história: Nunca se sinta inútil, sempre em algum momento, irá aparecer uma saída, e lembre que muitos estarão como você, triste se achando acabado, sem esperanças. Que um dia pode tudo mudar num repente... autor desconhecido.

terça-feira, 22 de janeiro de 2013

BUSHIDO - O CAMINHO DO GUERREIRO


GI – HONESTIDADE E JUSTIÇA Ser extremamente honesto em todos os contatos com todas as pessoas. Acreditar na justiça, não aquela vinda de outras pessoas, mas de você mesmo. Para o verdadeiro Samurai, não existem meios tons nas questões envolvendo honestidade e justiça. Só existe o certo e o errado. REI – CORTESIA E POLIDEZ Os Samurais não têm razão para serem cruéis. Eles não precisam provar sua força. Um Samurai é cortês até mesmo com seus inimigos. Sem essa manifestação externa de respeito, não somos mais que animais. Um Samurai é respeitado não só por sua força na batalha, mas também pelo modo como lida com os outros homens. A verdadeira força interior do Samurai fica evidente nas horas difíceis. YU – CORAGEM HERÓICA Estar acima das massas de homens que têm medo de agir. Esconder-se como uma tartaruga em sua concha não é viver de maneira alguma. Um Samurai deve possuir coragem heróica. Esta é incondicionalmente arriscada. É perigosa. É viver a vida, totalmente, completamente, maravilhosamente. A coragem heróica não é cega. Ela é inteligente e forte. MEIYO – HONRA Um verdadeiro Samurai só ouve a um juiz de sua honra e este é ele mesmo. As decisões que toma e o modo como as executa são um reflexo de quem você realmente é. Você não pode esconder-se de si mesmo. JIN – COMPAIXÃO Por meio de um treinamento intenso, o Samurai se torna forte e rápido. Ele não é como os outros homens. Ele desenvolve um poder que deve ser usado para o bem de todos. Ele tem compaixão. Ele ajuda os outros homens em cada oportunidade. Caso uma oportunidade não surja, ele faz todo o esforço possível para encontrar uma. MAKOTO – SINCERIDADE COMPLETA Quando um Samurai diz que desempenhará uma ação, pode considerar tal ação executada. Nada o impedirá de terminar aquilo que disse que irá fazer. Ele não tem de “dar sua palavra”. Ele não tem de “prometer”. Falar e fazer são a mesma coisa. CHU – DEVER E LEALDADE Para o Samurai, ter feito alguma “coisa” ou dito alguma “coisa”, significa que tal “coisa” faz parte dele. Ele é responsável por ela e por suas conseqüências. Um Samurai é imensamente leal àqueles que estão sob seus cuidados. Para aqueles por quem é responsável, ele permanece ardentemente fiel.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2013

O que devemos guardar na memória de maneira definitiva.


Que a luz está em toda parte, basta querer enxergar. Que é na espera que nos encontramos, pois isso tudo será resolvido no devido tempo. É só ter paciência e esperar. Que uma lágrima sofrida pode trazer o entendimento e a consolação. Que o entendimento só vem pela lágrima e que a redenção só se encontra no amor... Que a dor traz a tristeza, mas é através da tristeza que evoluímos. Que a esperança é uma estrela luminosa, que jamais deverá se apagar no nosso pensamento. Que o sol da libertação está na nossa memória, bem junto de nós, e que jamais esqueceremos disso. Que a paz é a irmã gêmea e inseparável da felicidade. Que todo mal que praticamos conscientemente é o avesso da nossa consciência. Que o amor é a palavra-chave para abrir todas as portas. Que somando o bem e a boa vontade encontraremos a praticidade da vida. Que apenas olhar não quer dizer que estejamos enxergando realmente. Que a bondade é um dízimo valioso. Que as idéias alheias não devem ser criticadas, mas sim respeitadas. Que o que não acontecem em cem anos pode acontecer num minuto. Que muitas vezes ganhamos quando renunciamos. Que na soma da esperança com a paciência encontraremos a realidade. Que não há oração sem resposta. Anote estas verdades em seu espírito. Tenho certeza de que serão sempre de grande valia. " Ruth" para "Vidas e Sonhos".

domingo, 20 de janeiro de 2013

A Dúvida e a Ansiedade.


Tanto o estado de incerteza quanto o estado de ansiedade podem acarretar muitos prejuízos. Portanto, sempre que tivemos um objetivo devemos excluir do pensamento tanto um estado quanto o outro. Na maioria das vezes começamos a querer algo até com paixão. porém aos poucos vamos esfriando e acabamos por perder aquele desejo intenso; a nossa vontade se enfraquece e nada acontece. Nossa mente deve ser firme e objetiva, no sentido de que, se nossos propósitos forem justos, conseguiremos aquilo que desejamos. Precisamos ter em mente que poucas coisas estão prefixadas no nosso destino. É possível modificar - ou moldar - quase tudo. Se vivermos em estado de lamentação, mantendo pensamentos negativos, como aquelas pessoas que nunca dizem "estou bem", vamos passar a fazer parte de um grupo que, por pena de si próprio, tem medo de se expressar de maneira positiva. As queixas não resolvem nada: são altamente destrutivas. Levantar a cabeça e deixar escapar livremente dos lábios palavras positivas faz um bem enorme. É apenas uma questão de ver para crer. Pelo meu aprendizado e pela aplicação desses princípios em minha própria vida , tenho certeza de que "somos o que pensamos". Não quero dizer que tudo é muito fácil, que num passe de mágica podemos transformar as coisas. Para tudo tem um tempo. A nossa trajetória por este planeta é sempre muito penosa. Só acordamos para a transformação depois de muitos erros e acertos. Às vezes só chegamos a procurar as grandes verdades místicas porque esgotamos todas as nossas reservas em um mundo profundo. Há muito que falar sobre este assunto, que certamente é do maior interesse. O mais importante, no entanto, é que devemos nos manter sempre tentando fazer tudo da melhor maneira possível, procurando acertar cada momento de nossa vida.Ou seja: devemos agir de acordo com nossas convicções, dentro dos princípios que nos dita o eu interior. Ruth para " Vidas e Sonhos".

sexta-feira, 18 de janeiro de 2013

OVNI's SOBRE A FAZENDA IPANEMA.


"Inúmeras provas fotográficas e pessoas mostram que Objetos Voadores Não Identificados "OVNI's", sobrevoam os céus de todo o planeta, parecendo estar, em alguns casos em missão de reconhecimento, e em outros fazendo escolta de navios e embarcações. Os governos de muitos países sabem disso, mas escondem a verdade da população. Até quando?" As fotos a seguir mostram alguns desses misteriosos avistamentos aéreos! ================================================================================= No interior do Estado de São Paulo, no município de Iperó, na região entre Sorocaba e Araçoiaba da Serra, existe uma fazenda histórica, criada ainda na época do império. Seu nome: “Real Fábrica de Ferro de Ipanema", (hoje conhecida como "Fazenda Ipanema" [Coordenadas GPS: Latitude / Longitude = 23°25'32.95"S, 47°35'55.47"W] onde deu-se início à primeira fábrica à forjar metais, produzindo armas, peças diversas utilizadas pelo exército e cavalaria da época do império, e até peças para a ferrovia que se iniciava no Brasil no final do século XIX. A Fazenda Ipanema, além de um local de grande beleza e com grande valor histórico e cultural para o Brasil, também é palco de vários acontecimentos misteriosos, os quais chamam a atenção dos mais curiosos, e arrepiam os mais temerosos, atraindo pesquisadores de fenômenos sobrenaturais e de OVNI's. Desde muitos anos, avistamentos misteriosos de luzes no céu, e mesmo de "naves" fora do comum tem ocorrido no perímetro compreendido pela Fazenda Ipanema, conforme descrito no artigo "Os Mistérios da Fazenda Ipanema”, fatos esses que já foram divulgados em jornais, comentados em revistas especializadas, bem como também se tornaram matéria do programa “Domingo Espetacular” da TV Record de São Paulo, e do programa “Visão Paranormal” do Youtube.. Testemunhos diversos relatam terem avistado, tanto durante o dia como também à noite, luzes e objetos misteriosos nos céus da Fazenda Ipanema, objetos esses não semelhantes à aeronaves conhecidas, mas com formatos triangulares e circulares, os quais permanecem estáticos no céu por algum tempo, desaparecendo em seguida. Evoluções luminosas nos céus da Fazenda Ipanema à noite também tem ocorrido com frequência, sendo até um desses incidentes fotografado por um funcionário do local, fato também descrito no artigo “Os Mistérios da Fazenda Ipanema”. Na época atual, no ano de 2010, durante visitas de turistas à Fazenda Ipanema, foram tiradas algumas fotografias corriqueiras, com foco na paisagem natural do local, coisa que todos visitantes costumam fazer. Só que o diferencial dessas fotos, é que mostram estranhos objetos voadores nos céus da Fazenda, comprovando os comentários e histórias de diversas pessoas que "naves" não identificadas sobrevoam o local. Os OVNI’s capturados nas fotografias foram dois tipos: um com forma circular, e outro com forma triangular, os mesmos tipos avistados em diversas partes do mundo e documentados em jornais, revistas, vídeos e internet. É importante observar que nenhum dos Objetos Voadores Não Identificados fotografados no local possuem formatos semelhantes à de aviões, comerciais conhecidos ou militares que circulam nos céus do Brasil. Segundo informações do Guia que teve contato com as pessoas reponsáveis pelas fotos, o "surgimento" das imagens dos OVNI's nas fotografias foi espantoso, visto que no momento em que as fotos foram tiradas, os mesmos não foram percebidos, sendo os motivos centrais das fotografias, unicamente a paisagem do local. Devido à resolução insuficiente das imagens, infelizmente não foi possível ampliá-las de forma suficiente para visualizar por completo os "Objetos Voadores" capturados pela câmera. No entanto é importante observar que dois dos Objetos Voadores fotografados tem os mesmos formatos de "OVNI's" avistados em diversas partes do mundo, que são so seguintes: Em pesquisas efetuadas com relação ao avistamento de OVNI's pelo mundo todo em diversas épocas, foi notada a "coincidência" com relação à alguns formatos das naves avistadas, havendo grande número de visualizações de "OVNI's Triângulares" e de "OVNI's Circulares". É interessante notar que já à muito tempo, mesmo antes do surgimento da internet, tecnologia que aproximou os povos, permitindo grande troca de informações e dados, os formatos de OVNI's descritos foram avistados em partes distintas do globo terrestre, como China, Russia, Estados Unidos, Haiti e até no Brasil. Os pesquisadores acharam curioso que pessoas localizadas à distâncias tão grandes umas das outras, pudessem relatar os avistamentos de naves com formatos idênticos e com os mesmos detalhes. Talvez esse fato ajude à provar realmente a existência de tais Objetos Voadores, os quais nos visitam já à muito tempo, sendo que seus objetivos são ainda um mistério. No caso dos avistamentos ocorridos na Fazenda Ipanema, arriscam alguns pesquisadores à dizer que talvez a grande concentração de magnetita nas montanhas da Fazenda Ipanema seja o motivo das visitas de "OVNI's" no local. Outros já argumentam que talvez, devido à existência das instalações de ARAMAR (Laboratório de Materiais Nucleares do Centro Tecnológico da Marinha em São Paulo) nas proximidades da Fazenda Ipanema, onde funcionam o Laboratório de Enriquecimento de de Urânio e a Usina de Demonstração de Enriquecimento (USIDE), sejam o objeto de atração para as naves visualizadas nos céus da região. Entre as várias teorias existentes, o que realmente se tem de concreto, é que estranhas naves fora do comum, com comportamentos aéreos diferenciados dos aviões comerciais e militares existentes no mundo, fazem evoluções e sobrevoos nos céus da Fazenda Ipanema, tanto durante o dia, como durante à noite, provando através das imagens capturadas que realmente esses fatos ocorrem, mostrando que a ficção está mais próxima da realidade do que possamos imaginar Fotos enviadas por: Jackson - Iperó - SP. Além da Imaginação Home Page

O Veado e o leão. Fábulas do Esopo.


Um veado sedento chegou a uma fonte. Depois de saciado, vendo seu reflexo na água, ficou feliz com o tamanho e as ramificações de seus chifres, mas não gostou nada se suas pernas, que lhe pareceram finas e fracas. Ainda pensava nisso, quando apareceu um leão, que começou a persegui-lo. O veado desatou a correr e tomou uma boa dianteira, pois a força que tem os veados nas pernas a tem os leões no coração. Enquanto corria pela planície nua,a distância o mantinha salvo. Chegado porém a um arvoredo, seus chifres ficaram presos nos ramos e, impedindo de correr, foi apanhado. Vendo-se perto da morte, disse para si mesmo: " Ai de mim, infeliz,minhas pernas, que pensei fossem me trair, eram minha salvação, e os chifres, de que tanto gostei, foram a minha perdição". Moral: Assim, muitas vezes, no perigo, os amigos em que menos confiamos é que nos salvam. e aqueles em que tanto acreditamos nos traem.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

LUZ MISTERIOSA EM ITACOATIARA . Além da Imaginação


Em diversas partes do planeta são relatados avistamentos de luzes misteriosas que "caem" ou "surgem" em florestas. Em alguns casos, estrondos ou sons de alta frequência acompanham o avistamento das tão estranhas "luzes". Mas o que seriam essas assustadores "luzes" que tantas pessoas contam terem avistados, mas que ao investigar, nada encontram? Poderiam ser provocadas pelo pouso de naves de outros mundos no planeta terra, ou talvez pela abertura ou fechamento de portais interdimensionais em determinados locais?" O Relato a seguir é sobre um desses misteriosos avistamentos! ================================================================================= Olá meus caros leitores do site Além da Imaginação! Meu nome é Sarah, tenho 18 anos, sou evangélica e moro no estado do Amazonas. Este é meu primeiro relato (de quem sabe) muitos outros relatos sobrenaturais. No ano de 2004, minha família e eu moravamos em Itacoatiara município próximo a Manaus (estado do Amazonas) [Coordenadas GPS: Latitude / Longitude = 3° 8'19.98"S, 58°26'31.10"W]. Itacoatiara era um bom lugar de morar, havia muitas árvores, frutas, animais, tinhamos duas piscinas e uma igreja que tomavamos conta. O lugar era afastado á cidade, não havia carros, luz, era um local assustador e escuro (alguns moradores locais diziam que o local era ''assombrado''). E as casas próximas ficavam bem afastadas ao local. Ao chegar da noite, costumavamos ouvir pássaros cantando, macacos fazendo barulhos, (bem assustadores por sinal), gafonhotos, mais nada de estranho. Enfim, nada de anormal até aquela data. Mas uma noite, algo que até hoje mexe comigo aconteceu... Estávamos meu irmão mais novo (hoje tem 16) e eu assistindo TV, e meus pais ao lado de fora da casa conversando com um casal de vizinhos que raramente nos visitava. Quando de repente, houve uma queda de luz e tudo vai ao escuro. Desesperados, meu irmão e eu corríamos para fora de casa, não sabendo o que se passava ou porque daquilo. As horas se passam e todos estavam conversando e nos atualizando sobre as coisas... Nada de mais acontecia até aí... Até que um grande clarão em meio a mata deixa todos tensos, pois cobria as grandes árvores e aquele clarão tinha diversas cores e muitas tonalidades! Foram exatos cinco segundos de terror até ele desaparecer no escuro. Estavamos assustados, quando de repente aquela mesma luz reaparece minutos depois. Era estranho, pois não poderia ser alguém, pois já era tarde da noite e aquelas matas abrigavam animais selvagens, e muito menos redes elétricas (pois elas estavam a frente de nossa casa, e a floresta era ao lado). Meu pai e nosso vizinho correram em direção a mata, pensando ser alguém perdido buscando ajuda com uma lanterna. Procuraram, procuraram, mas não... Não encontraram nada, nem sequer uma pista do que pode ter acontecido naquela mata. No dia seguinte ao fato, ninguém teve a coragem de adentrar aquele sombrio local, com receios ou talvez medo. Até hoje, não compreendo o que pode ter sido ''aquilo'' ou ''aquela'' coisa. Mas tenho certeza, lendo vários relatos parecidos, que aquela estranha luz, não era algo desse mundo, e jamais foi. Este é mais um caso ''Além da Imaginação''. www.alemdaimaginacao.com Sarah Pedrosa - Manaus - AM- Brasil

segunda-feira, 14 de janeiro de 2013

O Lobo e o Pastor . Fábula de Esopo.


Um lobo ia seguindo um rebanho de cordeiros sem atacá-los. De início, o pastor resguardava-se dele, temia-o e o vigiava como um inimigo. Mas vendo, que se o lobo o seguia sempre sem fazer a menor tentativa de atacar, o pastor começou a acreditar que tinha mais um guarda do que um inimigo á espreita. E certo dia, precisando ir á cidade, deixou seus cordeiros perto do lobo e partiu. O lobo, vendo que havia chegado a sua hora, atirou-se sobre o rebanho e pôs se a devorá-lo. Na sua volta o pastor deparou -se com o rebanho destruído, e disse: "O que sofro é justo. Como pude eu confiar cordeiros a um lobo?. Moral da história: Assim é entre os homens : os que confiam a guarda de seus bens a ambiciosos, naturalmente vão perdê-los. Autor : ESOPO.

O poder está dentro de Nós.


Quando você começar a disciplinar sua mente, não deixe que a dúvida e a ansiedade o dominem. Você não pode deixar que a dúvida e a ansiedade o dominem. Você não pode deixar que as insinuações e as emoções dos outros se apoderem de você. Passe agora, imediatamente, a disciplinar sua mente para que nada nem ninguém tome conta dos seus objetivos. Precisamos sintonizar nossa mente com o infinito, pois assim nada nem ninguém nos perturbará a ponto de insinuar-se em nossa vida para nos fazer qualquer mal. Você é dono absoluto dos seus pensamentos . Ninguém, mas absolutamente ninguém, tem o direito de bloqueá-los ou interferir sobre eles. Os venenos mentais são altamente perniciosos e se não tivermos o cuidado de enxotá-los, com certeza acabamos pagando por isso. Por exemplo: você está cheio de esperanças sobre determinado negócio, movido pela mola propulsora da fé e da esperança. Então resolve procurar um "amigo" para compartilhar sua ideia. alguém que você confia o bastante para falar sobre seus planos. No entanto esse tal "amigo" olha para você com um misto de grande entendedor e conselheiro, bate no seu ombro e diz que você o desculpe, mas acha que você vai entrar em um jogo muito arriscado e que suas pretensões tem pouca chance de se concretizar. E a criatura segue falando, falando sem parar e sem nenhum conhecimento do que está dizendo, vez que todo aquele discurso está baseado em uma ideia sua , e não dele. Pois bem, o que foi que este "amigo" fez? Ele simplesmente jogou um balde de água fria sobre os seus maravilhosos planos, sem nada lhe acrescentar de positivo ou construtivo. Não é verdade? Portanto tenha sempre em mente que você tem o sagrado direito de errar e acertar;se tiver de se aconselhar, faça-o somente com pessoas que tenham competência para julgar o assunto pelo ponto de vista técnico;nunca com amigos ou parentes que nada entendem do assuntos e vão opinar influenciados pelo medo e pelo desconhecimento do caso em si. após esta consulta técnica, se você ainda tiver que pedir conselhos, faça-o através do seu interior. E nunca se esqueça: a chave do negócio é o segredo - eu conseguirei! Faça do seu ideal uma bandeira, e mantenha-a bem alto no seu pensamento e continuamente faça as seguintes afirmações: Eu hei de vencer! Eu sou, eu posso! Vou chegar lá! O homem que vive cheio de dúvidas é um perdedor. A chave de nossa força está no nosso pensamento correto, firme, sem contradições. Assim, caminhe em frente , busque a coragem e a força dentro de si mesmo e você será um Vencedor!

sábado, 12 de janeiro de 2013

Visitante Noturno. Além da Imaginação.


"A noite. Momento de descanso para alguns e reflexão para outros. Mas o que acontece ao nosso redor quando dormimos, ou quando estamos prestes à dormir? É justamente nesse momento silencioso e escuro, onde as pessoas estão desligadas da realidade do nosso mundo, que misteriosos e sombrios visitantes de outros mundos utilizam para fazerem visitas furtivas ao nosso redor. Por isso muitas vezes é melhor não sabermos o que acontece enquanto dormirmos, pois a resposta pode ser algo que não gostaríamos de saber ." O Relato a seguir é sobre um desses misteriosos acontecimentos noturnos! ================================================================================= Bom, leio os relatos das pessoas que escrevem para esse site a muito tempo. Por isso então resolvi escrever. Vamos para o que aconteceu comigo. Sempre gostei de ler sobre essas coisas ocultas, ovnis, fantasmas e etc.. Gosto bastante de filmes de terror, mas não sou um daqueles góticos e tal. Sou um cara comum, hoje casado e pai de familia. Sou casado a pouco mais de 11 anos e tenho dois filhos, a minha mais velha que também tem 11 anos (minha esposa engravidou logo na lua de mel) e meu mais novo que tem 6 anos. Tenho problemas com insônia desdo 15 anos e costumo a ficar assistindo tv até tarde da noite. Certo dia quando cheguei do trabalho cansado. Minha filha naquela época tinha poucos meses de idade e ainda morávamos na casa dos meus pais, era uma casa separada, mas dentro do mesmo terreno. Bom, quando cheguei um pouco tarde da noite, pois costumava a ficar junto com meu pai que é comerciante noturno, tomei banho beijei a minha filha e esposa e fui assistir tv. Como naquele dia não estava passando nada de bom e a porcaria da minha insônia estava horrível, resolvi desligar a tv e ficar deitado no escuro pensando "besterias" para ver se o sono chegava. Passado algum tempo, senti meus olhos pesados e pensei "que bom, vou conseguir dormir". Quando estava quase cochilando, senti algo como batesse contra mim, como um vento forte ou sei lá. Fiquei paralisado na cama, quase sem poder respirar direito, tentei me mover para ver se acordava a minha esposa, e nada. De repente consegui ver uma figura passando próximo a nossa cama e seguindo em direção ao berço da minha filha. Entrei em desespero e tentava a todo custo fazer algo, mas o que me "segurava" era muito forte. A coisa era baixa, não tinha mais que 1,50m, e ela ficou na frente do berço (como a casa só tinha três cômodos, o berço ficava dentro do nosso quarto). Foi quando a tal coisa fez menção de pegar a minha filha, que começou a chorar. O mais impressionante é que minha esposa não acordava de jeito nenhum, visto que ela tem um sono bem leve. Então não sei como arranjei forças para me libertar e automaticamente acendi a luz, foi quando a criatura desapareceu. Minha filha ficou assustada, e foi somente ai que minha esposa se acordou, perguntou o que houve eu falei tudo o que tinha acontecido. Então ela disse que foi a minha mania de ficar até tarde da noite assistindo filmes de terror, mas naquele dia eu não tinha assistido nenhum filme, e o que dizer da minha filha assustada que só dormiu no meu colo. Quando eu colocava ela no berço, ela acordava e começava a chorar, naquela noite ela dormiu entre nós. Eu passei a noite acordado no escuro esperando a tal coisa voltar. Peguei uma faca na cozinha e coloquei próxima à minha mão. O mais impressionante é que após uns 05 ou 06 anos, nós já havíamos mudado de casa e de bairro, onde estamos morando atualmente, e minha filha estava desenhando na sala. Foi quando ela veio me mostrar um desenho que tinha acabado de fazer. Para meu espanto o desenho retratava o que tinha ocorrido a anos atrás, mas como ela pode se lembrar de um fato que ela tinha apenas meses de idade? E até a criatura (pelos traços de uma criança é claro) era muito parecida com a criatura que eu tinha visto. Lembro que ela falou que tinha visto a cena em um sonho dela, ela não soube informar quando foi o sonho só que de repente lembrou. Se alguém souber o que aconteceu. Por favor me esclareça. Saudações. www.alemdaimaginacao.com Emanuel - Fortaleza - CE . Brasil.

quinta-feira, 10 de janeiro de 2013

Sejamos práticos e Eficientes.


A praticidade no homem sempre de de grande utilidade. Se ficarmos indecisos entre o sim e o não, estaremos jogando fora um tempo precioso. Raramente vemos pessoas indecisas bem sucedidas. Às vezes é difícil tomar certas decisões, mas precisamos de nos encher de coragem e ir em frente. Temos também como um grande inimigo o medo - um problema sério -, que se instala no consciente do homem e o inibe de tal forma que o deixa completamente perdido, acabando nos consultórios de desamparo, até encaminhar-se ao consultório de um psicólogo. A vida nos prega peças e às vezes, sem nos consultar,joga com nossos anseios e sentimentos à revelia...Que fazer,então? Primeiro, conversar com Deus: com Deus no nosso coração. Depois , procurar um amigo de fé e descarregar e abrir o coração. Lembre-se de que dois pensam melhor do que um. Dividir nossos problemas é bom para a alma. Feliz daquele que tem pelo ao menos um amigo de fé. Quando sentimos que nossa volta as coisas vão bem, quando sentimos num beco sem saída,que tudo parece andar para trás, neste momento precisamos provar para nós mesmos a força que temos . Como? Confiando, procurando a fé e nos agarramos a ela na certeza de que nos levará ao sucesso por caminhos imagináveis. Se precisar gritar , grite;mas sempre com a convicção de que a sua voz estará sendo ouvida e que a ajuda virá... As lamentações e a tristeza profunda não levam a lugar algum, pelo contrário, geram apenas um enfraquecimento sem limites,afundando-o mais e mais... Precisamos atentar para o destino. Afinal, se o desconhecemos, temos que estar preparados e fortalecido para qualquer emergência. Para isso, devemos ser práticos e estar sempre alerta. Deus não é uma invenção . Sua força está sempre presente, e o mais humilde dos homens é merecedor do seu perdão. Assim sendo, seja um ganhador, tempere a sua força no aço da sua coragem. De Ruth para "Vida e Sonhos".

domingo, 6 de janeiro de 2013

Lição de Vida.


Um fato real. Dois irmãozinhos maltrapilhos, provenientes da favela - um deles de cinco anos e outro de dez, iam pedindo um pouco de comida pelas casas da rua que beira o morro. Estavam famintos - "vai trabalhar e não amole", ouvia-se detrás da porta; "aqui não há nada moleque...", dizia outro...As múltiplas tentativas frustradas entristeciam as crianças... Por fim, uma senhora muito atenta disse-lhes: " Vou ver se tem alguma coisa para vocês... Coitadinhos!"E voltou com uma lata de leite. Que festa! Ambos se sentaram na calçada. O menorzinho disse para o maior: você é mais velho, tome primeiro... e olhava para ele com seus dentes brancos , a boca semi-aberta, mexendo a ponta da língua. Eu, como um tolo, contemplava a cena... Se vocês vissem o mais velho olhando de lado para o pequenino...Leva a lata a boca e fazendo gesto de beber, aperta fortemente os lábios para que por eles não penetre uma só gota de leite. Depois, estendendo a lata diz ao irmão: -Agora é a sua vez. Só um pouco. E o irmãozinho, dando um grande gole exclama: -Como está gostoso! - Agora eu - diz o mais velho. E levando a latinha , já meio vazia, à boca, não bebe nada. - Agora você. -Agora eu. -Agora você. - agora eu. E, depois de três , quatro, cinco goles, o menorzinho, de cabelo encaracolado, barrigudinho, com a camisa de fora, esgota o leite todo... ele sozinho. Esse "agora você", "agora eu" encheram-me os olhos de lágrimas. E então, aconteceu algo de extraordinário.O mais velho começou a cantar, a sambar, a jogar futebol com a lata de leite ...estava radiante... o estômago vazio, mas o coração transbordando de alegria. Pulava com a naturalidade de quem não fez nada de extraordinário, ou melhor com a naturalidade de quem está habituado a fazer coisas sem dar a melhor importância em dar do que receber.É assim... que nós temos de amar. Sacrificando-nos com tal naturalidade, com tal elegância, com tal discrição, que os outros nem sequer possas agradecer-nos o serviço que nós prestamos.

sábado, 5 de janeiro de 2013

Verdadeiros Amigos.


Precisas abandonar o conceito mundano de amigos. Esta palavra é muito superior ao que normalmente todos atribui.Poucos são os que conhecem o verdadeiro sentido, mesmo porque poucos são os que reconhecem seus verdadeiros amigos. Verdadeiros amigos são os que te ajudam a crescer e a evoluir. Verdadeiros amigos são os que te apontam o caminho quando vêem que te desvias dele. Verdadeiros amigos são os que te mostram como se levantar quando estiveres caído, e te estendem a mão no momento próprio para que não sintas só. Verdadeiros amigos na verdade, nem sempre estão ao seu lado toda hora buscando ajudar-te. São esses sim , pois jamais se pode supor que alguém neste plano material em que te encontras, eles ao longe pode saber se tudo está correndo bem,, procurando notícias mesmo à distância, mas o pensamento sempre perto.Seja sempre bom , caridoso e humanitário, e saibas que que mesmo o amigo lhe virando as costas numa situação difícil, não é por isso que deixou de ser amigo, nem todos tem o dom da caridade, ou o carinho que tanto procura neste momento. Releve, pois cada um tem seu jeito de amigo, mas seu coração lhe mostrará a verdadeira amizade. Agradeça sempre tudo o que fizerem por ti, e o tempo te mostrará quem é o seu verdadeiro Amigo. de Ruth para "Vidas e Sonhos"

quarta-feira, 2 de janeiro de 2013

***Teria Sido uma Experiência de Quase Morte (E.Q.M.)?***


Pelo mundo todo existem inúmeros relatos de pessoas que quando dormindo "vêem" seus próprios corpos como se estivessem observando do alto, como se estivessem flutuando no ar. Segundo estudiosos, esse fenômeno é conhecido como "viagem astral", "desdobramento", "projeção astral" ou até uma possível "Experiência de Quase Morte (E.Q.M.). Seria possível que em uma situação em que uma pessoa esteja prestes à deixar nosso mundo, indo para o além, seu espírito possa observar o que está acontecendo em volta? O que poderia gerar esse misterioso fenômeno e qual seria seu objetivo?" O Relato verídico a seguir mostra um desses estranhos e marcantes acontecimentos! ================================================================================= Olá queridos leitores, aqui estou eu mais uma vez a descrever mais um de meus relatos que me aconteceu a três anos... Espero que gostem, e lembrem-se, o mundo está cheio de mistérios que nossa vã filosofia desconhece... Minha mãe e meu pai sempre disseram-me haver muitos certas coisas que o homem jamais compreenderá, e assim, creio. Sempre acreditei, e até os dias de hoje, acredito no sobrenatural, fantasmas e vida após a morte, e temo certas coisas sobre tal qual questão. Em 2009, mudamos minha família e eu para um bairro chamado Monte Pascoal, em Manaus (AM). Meu pai era pedreiro na época e minha mãe dona de casa. O pai saia a trabalhar, a mãe cuidava da casa e meu irmão e eu tinhamos a tarefa de estudar e fazer as lições escolares. Nossa escola ficava longe de casa, e tinhamos de enfrentar o sol escaldante do meio-dia toda a semana (exceto aos finais de semana). Sempre que chegava da escola, fazia os trabalhos e corria para a rua, jogar vôlei, jogar futebol e ir ao mercado. Todos os dias a mesma rotina. Certa noite estava muito cansada, mais não queria dormir cedo, pois naqueles dias estava tendo certos pesadelos e tinha muito medo, pois todos eram muito reais, muito mesmo. Como ja estava tarde demais peguei no sono por volta de 24:30 hs. (NÃO SEI SE FOI SONHO, PESADELO OU UMA VISÃO, MAS O QUE IREI RELATAR A SEGUIR MEXE MUITO COM MINHA IMAGINAÇÃO ATÉ HOJE...) Algo estava fora do normal, não sentia meu corpo ao chão, de repente percebi que não estava no chão ou ao menos deitada! Senti-me voando, não estava na cama, olhava abaixo, via meu corpo deitado com a mesma posição que dormia, via os lençois que cobriam-me... Via ao lado a parede, a casa, o chão... Não podia acreditar, estava morrendo? Seria mesmo meu espírito saindo de meu próprio corpo? Não sei... Podia sentir meu rosto (ou talvez do meu espírito) tocar algo, alguma barreira várias vezes, tentando inutilmente atravessar esta barreira, este impecílio. Foram várias tentativas frustradas, mas meu espírito não consegiu aquela barreira atravessar... Aquelas foram as horas mais longas e díficeis para mim, não podia ouvir nada, não podia acordar ou sequer trazer meu espírito de volta ao meu corpo... O dia amanhece, não sabia se contar ou não para meus pai, estava muito assustada, nunca tinha passado por uma experiência parecida! Era como se eu tivesse morrido e voltado, estava completamente atordoada com o fato. Contei-lhes e os mesmos ficaram impressionados com a descrição dos fatos. Três anos se passaram e esse estranho acontecimento ainda me tortura sendo um enigma indecifrável, o que realmente teria acontecido comigo? Seria uma "Esperiência de Quase Morte (E.Q.M)? Ou apenas um pesadelo? Isso jamais saberei. www.alemdaimaginacao.com Sarah Pedrosa - Manaus - AM- Brasil
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...