Seguidores

..

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Conto Zen: Prancha no Mar.


Um monge confirmado e um noviço viajavam de barco. Sobreveio violenta tempestade, que afundou o barco. Encontrando uma prancha de madeira, o jovem monge agarrou-se a ela e nadou na direção do monge mais velho, que não tinha nada que o ajudasse a boiar. – Compreendes o ensinamento de Buda? – perguntou ele ao jovem noviço. E sem nenhuma reflexão, espontaneamente, o jovem noviço ofereceu-lhe a prancha. Nesse momento, o deus do mar, o Grande Dragão, surpreendido com a atitude do jovem monge, acionou uma onda imensa, do tamanho de uma montanha, que transportou o noviço até a praia. Mestre Dogen concluiu: – Esse monge compreendia a prática da sabedoria. Seguia a ordem cósmica. Aprendeu o ensinamento de Buda sem pensar, sem duvidar. Quando seguimos a lei cósmica, não podemos cair na hesitação nem no ceticismo. A verdade é praticada espontaniamente, sem consciência pessoal. Não podemos soçobrar no erro. Praticado o mushotoku (sem finalidade nem espírito de lucro), o zazen abre a porta da verdadeira liberdade. Devemos acreditar sem refletir… Essa é a fé.

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...